TJ-MT nega recurso de vereador e mantém Emanuel no cargo -

Mato Grosso

Publicado em: 11/10/2017 às 09:30:00 Autor: LUCAS RODRIGUES Fonte: MÍDIA NEWS

O desembargador Márcio Vidal negou o recurso interposto pelo vereador Felipe Wellaton (PV), que visava decretar o afastamento do cargo ao prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB).

 

A decisão, em caráter liminar (provisória), foi dada na última segunda-feira (09) e manteve a liminar anterior proferida pelo juiz Luís Bortolussi, da Vara de Ação Civil Pública e Popular de Cuiabá.

 

A ação foi protocolada após a divulgação dos vídeos contidos na delação do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), em que Emanuel foi um dos então deputados estaduais filmados recebendo dinheiro das mãos de Sílvio Araújo, chefe de gabinete de Silval, valores que seriam oriundos de propina.

 

“O vídeo é chocante! Assim como deixou cair no chão um generoso maço dinheiro sujo, o Réu também deixou no chão a esperança dos cidadãos que empenharam votos em seu favor. Esta, diferentemente do dinheiro, encontra-se no chão até agora”, disse Wellaton, em trecho da ação.

 

No processo, o vereador também pediu a anulação do decreto 6.343/2017 pelo qual o prefeito abriu crédito suplementar de R$ 6,7 milhões para a Câmara Municipal, no dia 31 de agosto.

 

A suplementação, que anulou dotações para áreas sociais, foi liberada apenas dois dias após a sessão em que a oposição não conseguiu levantar assinaturas suficientes para uma CPI contra o prefeito.

 

Segundo Wellaton, para isso Emanuel promoveu a anulação de empenhos destinados ao custeio de serviços essenciais à população.

O desembargador Márcio Vidal negou o recurso interposto pelo vereador Felipe Wellaton (PV), que visava decretar o afastamento do cargo ao prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB).

 

A decisão, em caráter liminar (provisória), foi dada na última segunda-feira (09) e manteve a liminar anterior proferida pelo juiz Luís Bortolussi, da Vara de Ação Civil Pública e Popular de Cuiabá.

 

A ação foi protocolada após a divulgação dos vídeos contidos na delação do ex-governador Silval Barbosa (PMDB), em que Emanuel foi um dos então deputados estaduais filmados recebendo dinheiro das mãos de Sílvio Araújo, chefe de gabinete de Silval, valores que seriam oriundos de propina.

 

“O vídeo é chocante! Assim como deixou cair no chão um generoso maço dinheiro sujo, o Réu também deixou no chão a esperança dos cidadãos que empenharam votos em seu favor. Esta, diferentemente do dinheiro, encontra-se no chão até agora”, disse Wellaton, em trecho da ação.

 

No processo, o vereador também pediu a anulação do decreto 6.343/2017 pelo qual o prefeito abriu crédito suplementar de R$ 6,7 milhões para a Câmara Municipal, no dia 31 de agosto.

 

A suplementação, que anulou dotações para áreas sociais, foi liberada apenas dois dias após a sessão em que a oposição não conseguiu levantar assinaturas suficientes para uma CPI contra o prefeito.

 

Segundo Wellaton, para isso Emanuel promoveu a anulação de empenhos destinados ao custeio de serviços essenciais à população.

Notícias relacionadas

20/10/2017

Gefron prende homens por extração ilegal de madeira

Visualizar Notícia

20/10/2017

Assessor do presidente da Assembleia morre em grave acidente

Visualizar Notícia

20/10/2017

Poderes asseguram recursos para clínica médica no Hospital de Câncer

Visualizar Notícia

20/10/2017

Pai e avô são presos por estuprarem menina de 10 anos em casa

Visualizar Notícia

Copyright© 2017 - Todos os Direitos Reservados - Guarantã News