Hoje: 17/09/2019
    Horas: 00:00:00
×
Mauro trabalhará por produção em aldeias

Mauro trabalhará por produção em aldeias

  • 11/09/2019
  • Folha Max

Os índios da etnia Enawene Nawe, da Aldeia Halataikwa, pediram ao governador Mauro Mendes que os ajude a desenvolver a atividade econômica dentro das terras indígenas deles. O pedido foi feito durante visita do governador e da primeira-dama Virgínia Mendes à aldeia, nesta terça-feira (10.09). Esta foi a primeira vez que o chefe do Poder Executivo de Mato Grosso vai até a aldeia.

“Nós queremos agropecuária na terra indígena Enawene Nawe. Queremos oportunidade de trabalhar, o desenvolvimento econômico e a lavoura mecanizada, para sobrevivência e também comercializar”, pleitearam durante a reunião com o governador.

O pedido consta em um documento assinado por todos os caciques, que foi entregue a Mauro Mendes. Outro pedido da etnia foi para que na aldeia também seja desenvolvida a piscicultura e a apicultura. “Nós queremos trabalhar. Precisamos”, declarou o indígena Alami Enawene.

Aos indígenas, o governador destacou que irá ajudar no que for possível para atender aos pleitos, tanto no que compete ao Estado, como na interlocução com Brasília. 

“Essa aldeia quer trabalhar, quer melhorar a situação das famílias que aqui vivem. O mais importante é que é um desejo deles, não é uma imposição”, ressaltou.

Durante a visita, Mauro Mendes confirmou que será entregue uma patrulha mecanizada para ajudar o cultivo de uma lavoura já existente na aldeia, que serve para a subsistência das quase mil pessoas que ali vivem.

A aldeia Halataikwa é uma das maiores do Estado e uma das mais isoladas. Os índios ainda preservam todas as tradições. Somente os mais novos, que já freqüentam a escola, dentro da própria aldeia, é que conseguem falar o português.

Pedidos

Entre os pedidos feitos ao governador está a melhoria nas estradas que dão acesso à aldeia. Segundo Mauro Mendes, uma parceria entre o Estado e as prefeituras irá viabilizar a melhoria dessas estradas. 

Também foi requerida a construção do prédio da escola estadual, pois a estrutura atual que atende os índios é muito precária. As aulas são ministradas sob uma cobertura de palha, com quatro salas improvisadas. 

A demanda por uma sala nova da etnia é antiga. O governador confirmou que irá firmar, ainda neste ano, um convênio com a prefeitura de Comodoro para a construção da unidade escolar. A obra deverá ter início já no próximo ano.

“A unidade terá cinco salas de aula, espaço administrativo, banheiros e toda a estrutura física de uma unidade escolar. Será investido mais de R$ 1 milhão nessa nova estrutura. Eles precisam e merecem isso. É um anseio de um povo que quer manter suas tradições, mas, acima de tudo, quer adquirir conhecimento para preservar suas raízes e garantir a sobrevivência”, destacou Mauro Mendes, acrescentando que outro pedido feito pelos indígenas foi relacionado a garantir o acesso à internet.

“Eles também querem se conectar, participar do mundo. Vamos requerer isso junto ao Governo Federal”, explicou.

Ação Social

A visita a aldeia faz parte do projeto “Ser Cidadão Indígena”, idealizado pela primeira-dama Virgínia Mendes e organizado pela secretária de Assistência Social, Rosamaria de Carvalho, junto com diversos parceiros. 

O Governo disponibilizou toda a estrutura do Estado e também firmou parcerias para a emissão de documentos como CPF, carteira de trabalho, carteira de identidade, título de eleitor e certidão de nascimento.

Durante a visita, a primeira-dama entregou 480 kits escolares às crianças da etnia em idade escolar e outros 480 brinquedos para os mais novos. Os materiais foram doados pela Papelaria Milênio. Ela também recebeu demandas das mulheres indígenas como a doação de 800 unidades de linhas para construir saias. Vírginia Mendes também participou de alguns rituais da aldeia.

A infraestrutura para a ação foi montada com participação do Governo, por meio das Secretarias de Assistência Social e Cidadania, Saúde e Casa Civil, e várias instituições como a Funai, as prefeituras de Brasnorte, Juína, Comodoro, a Defesa Civil, Polícia Militar, Politec, Receita Federal , Exército Brasileiro, Corpo de Bombeiros, Ministério Público Federal, Projeto Justiça Comunitária, Tribunal de Justiça, Polícia Federal, Empaer, Distrito Sanitário Especial Indígena e a Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação.

 

    Compartilhar:

Patrocínio

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho