Hoje: 17/09/2019
    Horas: 00:00:00
×
SANTA CATARINA:  Em velório, família percebe que corpo no caixão era de outra pessoa

SANTA CATARINA: Em velório, família percebe que corpo no caixão era de outra pessoa

  • 11/09/2019
  • Jornal de Brasília

Parentes descobriram engano quando caixão foi aberto. Corpo no local era de uma vítima que havia morrido em horário próximo

Durante o velório de um idoso na última terça-feira (10), a família teve uma surpresa. No momento em que o caixão foi aberto, os familiares perceberam que o corpo que estava ali não era o do parente deles. O caso aconteceu em São Francisco do Sul-SC.

Sim, houve uma troca. O idoso em questão é Adão Elias, de 64 anos. Ele cumpria pena em um presídio e morreu no sábado (7) após passar mal. Ele estava no Hospital Regional de Joinville, e a família só soube da morte na segunda (9). Porém, o corpo que foi encaminhado ao velório de Adão era o de outra pessoa da mesma idade que havia morrido em horário próximo.

A funerária prometeu verificar o que ocorreu. A Secretaria de Estado da Saúde afirmou que o erro não ocorreu no hospital, e que o corpo foi devidamente identificado na unidade.

 

    Compartilhar:

Patrocínio

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho