Hoje: 17/09/2019
    Horas: 00:00:00
×
Mochileiro que viaja a América do Sul de bicicleta há 20 anos tem meio de transporte furtado ao passar por MT

Mochileiro que viaja a América do Sul de bicicleta há 20 anos tem meio de transporte furtado ao passar por MT

  • 11/09/2019
  • G1MT

Um mochileiro de 37 anos que já passou por 25 estados brasileiros e seis países da América do Sul de bicicleta teve o veículo e pertences furtados ao parar para descansar em um posto de combustível em Cáceres, a 220 km de Cuiabá, na sexta-feira (6). Ademilson Almeida dos Santos viaja de bicicleta há 20 anos.

Além da bicicleta, outros pertences foram furtados, entre eles dois pneus novos, uma câmara de ar, barraca de acampamento, rede, fotos de viagens e lembranças de alguns lugares nos quais ele já passou.

O viajante contou ao G1 que saiu de Salvador, cidade natal dele, no dia 26 de maio deste ano, com destino a Porto Velho. Ao chegar em Vilhena (RO), ele foi aconselhado pelo Corpo de Bombeiros a não seguir àquele destino devido às queimadas nas estradas.

“DECIDI MUDAR A ROTA E PARAR EM CÁCERES PARA DESCANSAR E DEPOIS SEGUIR PARA A LAGOA DA PRATA (MG), ONDE PASSARIA MEU ANIVERSÁRIO. QUANDO ACORDEI DE MADRUGADA PARA SEGUIR VIAGEM MINHA BICICLETA NÃO ESTAVA MAIS LÁ [NO POSTO]”, AFIRMOU.

Segundo Ademilson, os criminosos quebraram a corrente que prendia a bicicleta, usando um alicate. Um boletim de ocorrência foi registrado na Polícia Civil ainda na sexta-feira.

Ademilson disse que a polícia realizou buscas de drone pela região, mas não conseguiu localizar o veículo.

Como a bicicleta é o único meio de transporte dele, ele precisou pegar carona em um ônibus da Prefeitura de Cáceres para chegar a Cuiabá, onde conseguiu vaga em um albergue.

“FUI CHORANDO NA ESTRADA ATÉ CHEGAR EM CUIABÁ. NÃO QUERO FICAR ANDANDO DE ÔNIBUS, POIS MEU COMPROMISSO É COM A BICICLETA. VOU FICAR NO ALBERGUE ATÉ CONSEGUIR AJUDA PARA COMPRAR OUTRA BIKE E SEGUIR VIAGEM”, DISSE.

O mochileiro contou que essa não é a primeira vez que ele tem a bicicleta e os pertences roubados.

Em 2017, quando passava por Belo Horizonte, ele foi assaltado e, além do veículo, os criminosos levaram o celular dele com todas as fotos das viagens e o ameaçaram com uma faca. No entanto, três dias depois, ele recuperou a bicicleta.

‘Pedal Sem Juízo’

Essa é a segunda vez que ‘Ademilson Baiano Pedal Sem Juízo’, como gosta de ser chamado, passa por Mato Grosso, desde que começou a viajar de bicicleta, em 1999.

“Nunca pedi riqueza e sim saúde para que eu pudesse viajar o mundo de bicicleta. Antes disso, meu objetivo era conseguir uma casa para minha mãe e consegui. Foi então que comecei a aventura”, contou.

Sobre duas rodas, o viajante já passou por Uruguai, Paraguai, Argentina, Bolívia, Peru e Colômbia, além de 25 estados brasileiros.

“Passei por Mato Grosso pela primeira vez em 2016. À época estava indo para Rio Branco ver uma irmã que há 11 anos não encontrava. As viagens de bicicleta têm muito significado para mim, pois realizou um dos meus maiores sonhos, que era ver minha irmã”, contou.

Quando conseguir outra bicicleta, Ademilson disse que pretende seguir viagem com destino à Bahia, onde deve passar pela casa da família, fazer exames de rotina e depois seguir viagem para Rio Grande do Norte.

    Compartilhar:

Patrocínio

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho