Hoje: 23/10/2019
    Horas: 00:00:00
×
Dante teria feito repasse extra à Assembleia para pagar dívida com Arcanjo

Dante teria feito repasse extra à Assembleia para pagar dívida com Arcanjo

  • 09/10/2019
  • Repórter MT

Conforme documento, o ex-governador Dante de Oliveira atendeu ao pedido de José Riva devido ao interesse em ter o então deputado Humberto Bosaipo como aliado político.

 

O documento de suposta proposta de delação, do ex-deputado estadual José Riva, ao Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), aponta um esquema combinado junto ao ex-governador (falecido) Dante de Oliveira que, segundo o ex-deputado, teria repassado valores a mais ao orçamento da Assembleia Legislativa para quitar dívidas feitas pelos deputados, com o ex-bicheiro João Arcanjo Ribeiro e outras empresas de factoring, no montante de aproximadamente R$ 25 milhões.

Segundo Riva, Dante atendeu ao pedido dele, que na época era presidente da Assembleia, devido ao interesse em ter o então deputado Humberto Bosaipo, que seria primeiro secretário do Legislativo, como aliado político.

Ato contínuo, tendo em vista o interesse do Governador reeleito em ter Humberto Bosaipo como aliado político, restou firmado o compromisso em repassar os valores pleiteados pela Mesa Diretora da ALMT, o que foi de fato viabilizado pela equipe econômica do governo estadual, sob a condição do Dep. Humberto Bosaipo anuir com os principais projetos do Governo”, diz trecho da suposta proposta de delação.

"Sendo assim, o acordo fechado consistia na liberação, por parte do Governador Dante de Oliveira, além do orçamento já aprovado, de mais R$ XXXXXX (XXXXXXX), sendo que R$ XXXX (XXXXX) foram destinados somente para o pagamento da dívida pertencente ao Sr. João Arcanjo Ribeiro".

Conforme o documento, a proposta teria sido feita por Bosaipo que teria dito: Presidente, encontrei uma forma de liquidar as contas com o Sr. Arcanjo e outras factorings, sendo que eles mesmos ficarão responsáveis em constituir empresas que, além de dar suporte para esses pagamentos, ainda fornecerão uma quantidade mínima de materiais para a ALMT”.

Riva teria realizado em conjunto de Bosaipo uma reunião com o então governador Dante de Oliveira, para assegurar recursos para pagamento das dívidas contraídas junto ao João Arcanjo e outra empresas de factorings, além do recurso necessário para funcionamento da Assembleia.

"Sendo assim, o acordo fechado consistia na liberação, por parte do Governador Dante de Oliveira, além do orçamento já aprovado, de mais R$ XXXXXX (XXXXXXX), sendo que R$ XXXX (XXXXX) foram destinados somente para o pagamento da dívida pertencente ao Sr. João Arcanjo Ribeiro, oportunidade na qual foram emitidas XXX (XXXXX) notas promissórias no valor de R$ XXXXXX (XXXXX) cada uma, para pagamento em XXXX (XXXX) meses, tendo o Sr. Guilherme Garcia confirmado à época ao Colaborador que o Sr. XXXX havia confirmado com ele o recebimento do ofício da SEFAZ, comprometendo-se em fazer o repasse extra de R$XXXXXX reais mensais para saldar as NPs emitidas", destaca tercho do documento.

De acordo com o documento, Arcanjo era detentor de 70% da dívida da Assembleia Legislativa e nunca teria devolvido as promissórias pagas.

A suposta proposta de delação também aponta a criação de uma série de empresas fantasma para pagar as dívidas da Assembleia com a factoring de Arcanjo.

"Empresas constituídas em nome de interpostas pessoas e até mesmo de indivíduos já falecidos que deram suporte aos pagamentos efetuados ao Sr. João Arcanjo Ribeiro e outros credores, além de servir para fazer novos empréstimos”.

Ele comenta que foram criadas inúmeras empresas por pessoas ligadas a Bosaipo que estariam atuando por determinação de João Arcanjo, Nilson Roberto e Nivaldo de Araújo “com conhecimento inequívoco e participação efetiva dos Srs. Guilherme Garcia e Luiz Eugenio de Godoy que levavam os cheques já preenchidos para a assinatura da mesa diretora”.

    Compartilhar:

Patrocínio

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho