Hoje: 09/12/2019
    Horas: 00:00:00
×
TJMT aprova projeto para tratamento de presos dependentes químicos com acupuntura e medicamentos

TJMT aprova projeto para tratamento de presos dependentes químicos com acupuntura e medicamentos

  • 03/12/2019
  • G1 MT

Projeto funcionará, inicialmente, no CRC, onde 300 presos estão interessados no tratamento. Capacitação dos médicos será custeada pelo TJMT e governo selecionará servidores.

 

Um projeto pioneiro no tratamento de dependência química com acupuntura e medicamento para presos do sistema prisional foi divulgada pelo Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT). Os detalhes foram discutidos em uma reunião, na semana passada, e divulgados nessa segunda-feira (2).

Com a aprovação da capacitação dos médicos do sistema prisional, que será custeada pelo Tribunal, caberá ao governo do estado selecionar os servidores que serão treinados, além de providenciar os insumos necessários ao tratamento dos pacientes.

Representantes dos órgãos estiveram na reunião e se mostraram favoráveis à iniciativa do Judiciário.

De acordo com Winkler de Freitas Teles, diretor do Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), onde o projeto funcionará inicialmente, existem cerca de 300 detentos na lista de interessados em fazer tratamento para se livrar das drogas.

O tribunal pretende investir na capacitação de médicos que atuam nas unidades penitenciárias para uma técnica que alia acupuntura e medicamentos no controle de liberação de dopamina e serotonina, neurotransmissores relacionados à sensação de prazer e que também são liberados quando é feito uso de drogas.

Na ocasião, a ideia foi apresentada pelo desembargador Marcos Machado, coordenador da Comissão Especial sobre Drogas Ilícitas e pelo médico especialista em dor, Reinaldo Coutinho.

Ele explicou o processo de dependência química, uma alteração neurológica que ocorre em pessoas que, em sua constituição genética, sofrem com baixos níveis de serotonina e dopamina.

Tais neurotransmissores produzem a sensação prazerosa, mas, em doses altas, podem causar lesões cerebrais e até mesmo doenças mentais, como a esquizofrenia.

Diferentemente dos métodos tradicionais, em que o dependente químico é colocado em abstinência, o tratamento proposto por Coutinho não causa sofrimento ao paciente, já que ele receberá a administração de dopamina e serotonina no organismo.

Isso se dá por meio de pontos cirúrgicos feitos em uma das orelhas do paciente, que retira os pontos em 60 dias. Aliada a essa técnica inspirada na acupuntura, o tratamento também se baseia no uso de medicamentos pelo período de 6 meses.

Reinaldo conta que começou a usar essa técnica não com usuários de drogas, mas com pacientes que sofriam de fortes dores, no Hospital Universitário Júlio Müller.

Em parceria com o Poder Judiciário, por meio do Juizado Especial Criminal, ele também realizou a capacitação de outros sete médicos da rede pública de saúde de Cuiabá, que adotou o método.

Ainda segundo o TJMT, a redução de dependentes de drogas nos presídios trará inúmeros benefícios para o sistema penitenciário, como por exemplo a redução de circulação de drogas nas unidades, onde os entorpecentes são usados como moeda de troca, menos flagrantes de visitantes tentando entrar com drogas nas cadeias, menos reincidência de presos que cometem crimes para manter o vício.

 

 

    Compartilhar:

Patrocínio

Patrocínio

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho