Hoje: 24/01/2020
    Horas: 00:00:00
×
Aldo Locatteli peita Governo e para de vender etanol contra nova tributação

Aldo Locatteli peita Governo e para de vender etanol contra nova tributação

  • 02/01/2020
  • RD News

Estado nega que tenha aumentado imposto e diz que no etanol, impacto é de apenas R$ 0,05

 

O empresário Aldo Locatelli “peitou” o Governo do Estado. A partir desta quinta (2), os 15 pontos Aldo pararam de vender etanol, e vão permanecer assim até que o Estado altere a forma de tributação.

O problema começou com a publicação da Lei Complementar 631, de julho de 2019, que alterou o formato do recolhimento do ICMS.

Até então, os postos de combustível compravam o etanol das distribuidoras e pagavam o ICMS na compra, depois revendiam o produto com esse valor embutido no preço final ao consumidor.

Agora, com o sistema de crédito outorgado, cabe aos postos de combustível recolher ICMS na hora da venda ao consumidor final. Com essa alteração, o impacto é de 33 centavos no valor final do etanol, conforme cálculo feito pelo grupo empresarial.

Nesta quarta (1º), já foi possível perceber o aumento do preço do etanol na maioria dos postos em Cuiabá, com o combustível sendo vendido a R$ 2,80, em média. 

Interlocutor ligado ao Grupo Aldo informou ao RD NEWS , que a empresa não aderiu ao sistema de substituição tributária, conforme estabelecido pela lei complementar sancionada pelo governador Mauro Mendes (DEM).

A reportagem entrou em contato com a Sefaz para pedir um posicionamento. A secretaria comunicou que vai se posicionar ainda esta tarde.

Em comunicado divulgado no início da semana, o Estado rebateu informações de que aumentou impostos. Segundo o Paiaguás, no caso do etanol, o incentivo fiscal ao setor foi reduzido de 10,5% para 12,5%. "Ou seja, terá um impacto de R$ 0,05, valor bem abaixo de R$ 0,33 divulgado".

O Governo ainda recomenda que o contribuinte que se deparar com o "aumento irregular" deve denunciar ao Proncon.

    Compartilhar:

Patrocínio

Patrocínio

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho