Hoje: 18/02/2020
    Horas: 00:00:00
×
MPE investiga se esquema de R$ 10,4 milhoes continuou na gestão de Taques em MT

MPE investiga se esquema de R$ 10,4 milhoes continuou na gestão de Taques em MT

  • 21/01/2020
  • Folha Max

O Ministério Público do Estado (MP-MT) investiga se as fraudes envolvendo contratação de softwares para as escolas estaduais em Mato Grosso, iniciadas na gestão de Silval Barbosa (sem partido), tiveram continuidades no governo de Pedro Taques (PSDB). O esquema é investigado na operação “Quadro Negro”, deflagrada pela Polícia Judiciária Civil (PJC) em outubro de 2019, que apura um esquema de R$ 10,4 milhões.

Um despacho do promotor de justiça Roberto Aparecido Turin, que atua no Núcleo de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa, pediu o compartilhamento dos autos com a 14ª Promotoria de Justiça Criminal, que investiga a denúncia das fraudes envolvendo a gestão do ex-governador Silval Barbosa. “Tendo em vista a necessidade de conhecimento das provas até o momento produzidas na seara criminal quanto ao objeto de investigação citado, solicito Vossa Excelência informar se houve a instauração de algum inquérito policial referente aos fatos objeto das investigações supracitadas e em caso positivo, o compartilhamento das informações já obtidas, para fins de instrução do inquérito civil”, diz trecho do despacho.

Conforme narra o promotor de justiça, as investigações tiveram início após as declarações do ex-secretário da Casa Civil, Pedro Nadaf. Ele contou em seu acordo de colaboração premiada, que indicou a Avançar Tecnologia – empresa que estaria por trás das fraudes -, ao ex-aliado e coordenador da campanha vitoriosa do ex-governador Pedro Taques no ano de 2014, o empresário Alan Malouf.

O empresário acabou se tornando delator justamente contra Taques. “Tramita nesta 13ª Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa o Inquérito Civil Público que tem como objeto apurar a execução do contrato firmado entre a Secretaria de Educação do Estado de Mato Grosso - Seduc e a empresa Avançar Tecnologia em Software Ltda, especialmente com relação ao suposto pagamento de propina na gestão do Governador Pedro Taques. A investigação em comento foi instaurada em decorrência do recebimento dos interrogatórios prestados pelo colaborador Pedro Jamil Nadaf ao Ministério Público Federal”, revela outro trecho do documento.

A investigação esta na fase preliminar. Ou seja, ainda não há denúncia contra o ex-governador Pedro Taques.

 

QUADRO NEGRO


A Polícia Judiciária Civil deflagrou no dia 22 de outubro de 2019 a operação “Quadro Negro”, com o objetivo de apurar desvios de recursos no antigo Centro de Processamento de Dados do Estado (Cepromat), atual Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI). As ordens judiciais foram decretadas pela juíza Ana Cristina Silva Mendes da 7ª Vara Criminal da Capital.

Sofreram mandados de prisão Valdir Agostinho Piran, Weydson Soares Fonteles, Wilson Celso Teixeira, Francisvaldo Pereira de Assunção, Djalma Souza Soares, Edevamilton de Lima Oliveira. Todos eles também tiveram bens bloqueados em até R$ 10.435.714,02.

O esquema investigado na operação “Quadro Negro” consistia na contratação milionária de empresas que não prestavam os serviços estabelecido em contrato. O dinheiro era desviado para o pagamento de dívidas com o “empresário do ramo de factoring”, Valdir Piran.

Em maio de 2018, o ex-governador Silval Barbosa e o ex-secretário da Casa Civil, Pedro Jamil Nadaf, haviam revelado o esquema em depoimento à Controladoria-Geral do Estado (CGE) pois foram convocados a dar informações em um PAD (processo administrativo disciplinar) que apurava a instalação de softwares piratas nos computadores das escolas estaduais em 2014.

    Compartilhar:

Patrocínio

Patrocínio

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho