Hoje: 14/12/2019
    Horas: 00:00:00
×
Centro-Oeste leva o Brasil nas costas com agronegócio e sem contrapartida, diz Ciro

Centro-Oeste leva o Brasil nas costas com agronegócio e sem contrapartida, diz Ciro

  • 21/06/2017
  • RD NEWS

 

O pré-candidato a presidência da República ex-ministro Ciro Gomes (PDT-CE) afirma que o Centro-Oeste carrega o Brasil nas costas há 20 anos com o agronegócio, que tem sido importante para o país enfrentar a crise financeira.

"Sei que vocês aqui estão carregando nosso país nas costas há 20 anos e sem nenhuma contrapartida, sem uma estrutura minimamente digna desse esforço extraordinário de produção e trabalho que vocês representam”, avalia Ciro, que esteve nessa terça (20) em Cuiabá ministrando palestra sobre "Política de Desenvolvimento Nacional" em evento realizado pela Central dos Sindicatos Brasileiros.

Ciro lembra que 40% dos custos de produção agropecuária mais pujante do mundo são importados e não há uma fábrica nacional de fertilizantes ou de implementos agrícolas no país. Nessa linha, aponta a importância de construir um projeto nacional de desenvolvimento para recuperar a industrialização e amenizar desigualdades competitivas com outros países. Ele explica que o Brasil precisa interromper o processo de desindustrialização, já que antes, segundo ele, a indústria correspondia a um terço do PIB e hoje está em 8%.

“Hoje nós temos o equivalente no PIB na indústria o que tínhamos em 1910, portanto, nós precisamos interromper o processo de desindustrialização e retomar um processo de industrialização forçada."

O ex-ministro afirma ainda que não há razão para que o país não coordene estrategicamente as energias do setor público seja em crédito, renúncia fiscal, capacitação, treinamento ou compras governamentais. "O que for necessário para que em parceria com a iniciativa privada e o mundo universitário a gente possa produzir rapidamente verticalização dessa produção aqui. O mesmo vale para petróleo e gás, para o complexo industrial da saúde e para o complexo industrial da defesa.”

2018

Ciro Gomes aguarda apenas a confirmação do partido para disputar as eleições. “Eu devo pensar muito antes de ser candidato porque um cara que fala o que eu falo, que pensa o que eu penso e que tem 37 anos de vida pública, nunca respondi inquérito, mas briguei com essa gente toda sabe o pão que o diabo amassou é que o me espera se eu entrar nessa parada, mas o povo brasileiro merece tudo. O PDT se quiser estou as ordens”, diz.

Curioso é que Ciro entrou para o  PDT em 2016 para ser candidato a presidente, razão que enfureceu o senador Cristovam Buarque e o levou a deixar a sigla e migrar para o PPS, já que também queria disputar o posto em 2018. O pedetista já foi candidato a presidente da República duas vezes, em 1998 e 2002, e saiu derrotado.

Em Mato Grosso, sem citar nomes, Ciro afirmou que poderá sair um nome do PDT para majoritária – não se sabe se para governo ou Senado. "Estamos trabalhando e acho que nós vamos dar uma boa surpresa para Mato Grosso. Nós estamos tentando  cooptar um quadro, mas teremos um candidato na chapa majoritária com certeza" . 

Nacionalmente, Ciro, Jair Bolsonaro (PSC-RJ), Marina Silva (Rede-AC) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT-SP) aparecem como pré-candidatos para corrida eleitoral do próximo ano.

Reformas

No evento, Ciro, falou também das reformas trabalhista e previdenciária – ambas em trâmite no Congresso Nacional. Sobre a reforma trabalhista, o político cearense comenta que o tema está sendo tratado de forma violenta pelo governo de Michel Temer (PMDB).

“Uma insuportável tentativa de transformação do trabalho em mercadoria como se fosse meio quilo de sal, numa hora que nós estamos com 14,3 milhões desempregados e 9 milhões de brasileiros na informalidade, você está criando categoria que não existe em nenhum lugar do mundo que é a prevalência do negociado sobre o que está protegido pela legislação.”

Na previdência, ele destaca que o Brasil precisa colocar em debate o novo regime de capitalização para o Brasil. Para ele, este regime tem que ser  público. “E na previdência você tem 2% dos beneficiados da previdência que levam mais de um terço de tudo. E não mexe nisso”, comenta e cita magistrados e políticos como exemplos desse grupo. 

Ciro diz que é mentira que a base atuarial da previdência esteja em déficit. “Ela só está em déficit porque o governo criou um negócio chamado DRU (Desvinculação de Receitas da União) (...), ou seja, tomam um terço das receitas que foram criadas por lei da aposentadoria”, comenta.

    Compartilhar:

Patrocínio

Patrocínio

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho