Hoje: 10/07/2020
    Horas: 00:00:00
×
Secretário: Situação é grave, gravíssima e deve piorar nos próximos dias

Secretário: Situação é grave, gravíssima e deve piorar nos próximos dias

  • 24/06/2020
  • Repórter MT

Gilberto Figueiredo aponta ocupação de 87% dos leitos públicos de UTI e 97% na rede particular, dificuldade para comprar medicamentos e a gravidade em que as pessoas chegam aos hospitais

 

Com a lotação quase máxima das Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) exclusivas para tratamento dos pacientes com covid-19 (novo coronavírus), o secretário de Estado de Saúde, Gilberto Figueiredo, cobrou que os Municípios melhorem o atendimento na rede primária às pessoas com suspeitas da doença, porque muitos estão chegando às unidades de referência em estado muito grave, o que colabora para o colapso no sistema.

Em live nesta quarta-feira (24), Figueiredo comentou que os pacientes não estão encontrando receptividade necessária que deveriam ter no primeiro atendimento.

“A situação está se agravando e a demanda pelos hospitais de referência para pacientes mais graves está aumentado muito e aquilo que era para ser o último suspiro, última etapa no atendimento, está se transformando no primeiro, o que não é o correto. É preciso mais uma vez chamar a atenção para intensificação da melhoria no atendimento na rede primária, no primeiro atendimento, na porta de entrada do paciente suspeito ou confirmado de covid para que ele receba o atendimento inicial para abrandar os sintomas, procurar a cura mais antecipada e evitar a necessidade de um leito de UTI”, disse. 

Ele divulgou que em Mato Grosso há 241 pacientes em leitos de enfermaria, sendo 67 internados em hospitais privados e 162 em leitos públicos e 12 em leitos de hospitais filantrópicos. 

Há mais 221 pacientes em leitos de UTI, desses 44 em leitos de UTI em hospitais privados, 160 em leitos de UTI da rede pública e 17 em hospitais filantrópicos. 

O secretário ainda contou que na rede privada a taxa de ocupação de leitos de UTI é de 97%. 

“O que nos chama muito a atenção é que nós já chegamos a 87,1% de taxa de ocupação de leitos de UTI. Na final da tarde ontem nós tínhamos apenas 31 leitos ainda disponíveis e nós temos 615 leitos de enfermaria disponíveis”, acrescentou. 

Ele ainda comentou que o Governo do Estado está numa força-tarefa para tentar ampliar o número de leitos de UTI, no entanto, ressaltou que existem condicionantes para isso ocorra de forma célere.  

O secretário ainda pontuou que começa a faltar no país medicamentos utilizados nas UTIs. 

“O Ministério da Saúde está numa força-tarefa gigantesca, secretários estaduais estão tentando de todas os jeitos suprir os hospitais e medicamentos básicos para fazer a sedação do paciente, anestésicos para que os pacientes possam resistir, então nós temos que fazer o nosso esforço neste momento, não dá para continuar apostando que a situação não fosse ser grave, ela já é grave, gravíssima, e deve piorar nos próximos dias”, disse. 

“Por isso, estou gastando tempo nesse momento para tentar convencer você que ainda não acredita que a rede hospitalar, que a capacidade assistencial do SUS nesse momento está colapsada, sem perspectiva de curtíssimo prazo para que ela possa melhorar e ter leitos disponíveis para toda a população”, complementou. 

    Compartilhar:

Patrocínio

Patrocínio:

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho