Hoje: 12/07/2020
    Horas: 00:00:00
×
Paciente é amarrado e arrastado em clínica de reabilitação no DF

Paciente é amarrado e arrastado em clínica de reabilitação no DF

  • 25/06/2020
  • G1 DF

Caso ocorreu na última semana e gravação foi publicada nesta quarta-feira (24), nas redes sociais. Entidade não é cadastrada junto o GDF; Polícia Civil investiga.

 

A Polícia Civil do Distrito Federal investiga um vídeo que mostra um paciente de uma clínica de reabilitação em Planaltina sendo amarrado e arrastado. O caso ocorreu na última semana e a gravação foi publicada nesta quarta-feira (24), nas redes sociais.

O episódio ocorreu na Comunidade Terapêutica Filho Pródigo, que abriga dependentes químicos em recuperação. Segundo o presidente da entidade, Wardelar Francisco Muniz, o homem que parece amarrado com uma corda estava em “surto psicótico e agressivo” e foi “contido”.

No entanto, a Secretaria de Justiça (Sejus) informou que o local “não é considerado uma comunidade terapêutica para tratamento de álcool e outras drogas”. A pasta também rechaçou as agressões.

 

Investigação

 

Nas imagens, o rapaz aparece sendo puxado em meio ao barro. Uma das pessoas que o arrastava perguntou: “Tá bravo, aí?”. Já o jovem que estava sendo levado pediu: “No chiqueiro, não”.

O caso foi registrado na 31ª Delegacia de Polícia. Ao G1, o delegado Fabrício Borges afirmou que teve conhecimento do vídeo no último final de semana. Conforme o investigador, vão ser realizadas diligências para “verificar as circunstâncias dos fatos e delinear uma linha de investigação”.

“A priori, é cedo para emitir qualquer juízo de valor que possa levar a uma convicção jurídica correspondente à realidade dos fatos.”

 

‘É normal’, diz responsável

 

Segundo o presidente da entidade, as pessoas que aparecem na gravação segurando o homem também são pacientes do local. “Ele não estava sendo agredido, estava sendo contido. Vamos mudar o procedimento.”

Wardelar Francisco Muniz afirma que o Corpo de Bombeiros foi chamado e levou o paciente para o Hospital Regional de Planaltina (HRPL). Após receber o atendimento médico, ele voltou para a clínica de reabilitação.

Questionado pela reportagem sobre o episódio, disse que “isso é normal em casas de recuperação, devido ao excesso de bebidas e drogas”.

 

Local não é conveniado ao GDF

 

No entanto, segundo o governo do DF, a comunidade “não é cadastrada nos órgãos do GDF por não ter atendimento ou acolhimento conforme se espera de uma comunidade terapêutica”.

Em nota, a Secretaria de Justiça do DF disse ainda que não recomenda o tipo de método utilizado no local para pacientes com transtornos mentais.

“A recomendação é a contenção do paciente que apresenta transtorno mental, desde que prescrita por médico, registrada em prontuário e quando for o meio mais adequado para prevenir dano imediato ou iminente ao próprio paciente ou a terceiro, o que não se vislumbra no presente caso.”

 

O GDF também repudiou o episódio e disse que a situação deve ser investigada. “Esse tipo de agressão é rechaçado pelo GDF, bem como merece ser investigado na seara criminal para que seja uma resposta ao trabalho sério e legal que é desenvolvido pela política de drogas que o GDF adere.”

    Compartilhar:

Patrocínio

Patrocínio:

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho