Hoje: 12/07/2020
    Horas: 00:00:00
×
Funcionários demitidos de usina de cana-de-açúcar em MT não recebem verbas trabalhistas e caso para na Justiça

Funcionários demitidos de usina de cana-de-açúcar em MT não recebem verbas trabalhistas e caso para na Justiça

  • 25/06/2020
  • TV Centro América

MPT pede à Justiça que a empresa pague R$ 6,4 milhões. O dinheiro referente às parcelas das rescisões não quitadas e a multa pelo não cumprimento do acordo.

 

Funcionários da usina de cana-de-açúcar Porto Seguro, em Jaciara, demitiu 288 funcionários. Foi feito um acordo com a usina em fevereiro para que as rescisões dos trabalhadores fossem pagas em 10 parcelas, mas o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias do Álcool alega que esse acordo não tem sido cumprido.

A Usina Porto Seguro disse que está em contato o Ministério Público do Trabalho para solucionar a questão trabalhista.

Segundo o Ministério Público do Trabalho (MPT), em março houve uma nova onda de demissões e afastamentos.

Com o acordo, a empresa pagaria as férias vencidas, FGTS e também a multa rescisória. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Álcool, Isaías Gomes de Souza, conta que já são quatro meses em atraso.

“Dia 25 de fevereiro pagaram a primeira parcela e a gente confiou que iriam pagar as outras, mas infelizmente ficou nessa primeira e a última que foi agora. São quatro meses vencidos e nunca mais eles procuraram o Sindicato ou Ministério Público para dar uma posição pra esses trabalhadores”, afirma.

Na ação, o MPT pede à Justiça que a empresa pague R$ 6,4 milhões. O dinheiro referente às parcelas das rescisões não quitadas e a multa pelo não cumprimento do acordo. Os ex-funcionários estão acampados em frente à usina desde o dia 15 de junho. O protesto é uma forma de chamar a atenção dos representantes da usina.

Na usina, os caminhão carregados de cana-de-açúcar trafegam com escolta armada.

O procurador do Ministério Público do Trabalho, Leonardo Lobo Acosta, diz que os bens da empresa devem ser bloqueados para garantir o pagamento dos funcionários.

“Nós fizemos um pedido na petição inicial pra que haja um bloqueio imediato de bens da empresa e pra poder garantir essa quantia que é muito alta. Nós aguardamos alguns dias a próxima decisão nesse sentido pra que, além do acordo, haja uma imposição judicial pra a empresa cumprir", afirmou.

    Compartilhar:

Patrocínio

Patrocínio:

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho