Hoje: 12/07/2020
    Horas: 00:00:00
×
Fiocruz: remédio contra hepatite C inibe replicação do coronavírus

Fiocruz: remédio contra hepatite C inibe replicação do coronavírus

  • 26/06/2020
  • R7*

Resultados mostraram que antiviral atuou contra o vírus em três diferentes linhagens celulares, além de reduzir a produção de substâncias inflamatórias

 

Um estudo realizado pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) identificou que medicamentos usados atualmente no tratamento de hepatite C inibem a replicação do novo coronavírus em experimentos com células.

Os resultados mostraram o potencial de um antiviral, que atuou contra o vírus em três diferentes linhagens celulares investigadas, além de ter reduzido a produção de substâncias inflamatórias associadas aos casos graves da covid-19.

O pesquisador do CDTS/Fiocruz (Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde) e líder do estudo, Thiago Moreno, ressaltou a importância de identificar compostos com ação sobre o novo coronavírus entre fármacos clinicamente aprovados para outras doenças.

“O reposicionamento de medicamentos é reconhecido pela OMS (Organização Mundial da Saúde) como a maneira mais rápida de identificar candidatos ao tratamento da covid-19. Considerando que os antivirais de ação direta contra o vírus da hepatite C estão entre os mais seguros, nossos resultados indicam que estes fármacos, em especial o daclastavir, são candidatos para a terapia, com potencial para ser imediatamente incorporados em ensaios clínicos”, afirmou.

Os autores alertaram para os riscos da automedicação e destacaram que os testes em pacientes são fundamentais para avaliar a eficácia de terapias. Além disso, ressaltaram que todas as pessoas com casos suspeitos ou confirmados da covid-19 devem procurar atendimento médico para orientação da terapia adequada.

Publicado em um site científico, o trabalho foi liderado pelo CDTS/Fiocruz (Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde) em parceria com o IOC/Fiocruz (Instituto Oswaldo Cruz), com participação dos Laboratórios de Imunofarmacologia e de Pesquisa sobre o Timo do IOC.

Também colaboraram INI/Fiocruz (Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas), Unig (Universidade Iguaçu), Idor (Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino), INCT-IDPN (Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Inovação de Doenças de Populações Negligenciadas) e INCT-NIM (Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Neuroimunomodulação) .

 

*Sob supervisão de Bruna Oliveira 

    Compartilhar:

Patrocínio

Patrocínio:

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho