Hoje: 06/07/2020
    Horas: 00:00:00
×
Mendes critica falta de apoio de Bolsonaro a MT na pandemia

Mendes critica falta de apoio de Bolsonaro a MT na pandemia

  • 26/06/2020
  • Gazeta Digital

O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM) criticou, na manhã desta quinta-feira (25), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pela falta de apoio a Mato Grosso durante a pandemia do novo coronavírus. Segundo o gestor, é preciso uma "liderança do governo federal, não só de recursos", nesse momento de crise.

Mendes fez as críticas ao presidente durante a reunião virtual da Comissão Mista da Covid-19 no Senado. Ele representou o Consórcio Brasil Central, do qual é presidente e o Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Tocantins, Maranhão e Rondônia.

"Temos feito tudo o que podemos, todos os governadores e prefeitos mais responsáveis estão fazendo. Precisamos somar esforços, precisamos da liderança do governo federal, não só de recursos", afirmou Mauro durante a reunião da comissão.

O governador lembrou que além da falta de liderança, Mato Grosso não pode contar com a ajuda da União para enfrentar a pandemia, pois desde a quantidade de testes para diagnosticar a doença foi mínima diante da demanda.

"Com relação a testagem, mandaram um pouquinho de testes, não é representativo. Tomamos providência, compramos 500 mil testes, vamos aplicar, deve chegar na próxima semana e vamos atingir meta de testar 20% da população. Em relação aos testes

PCR, temos uma máquina em comodato com o Ministério da Saúde, venceu o contrato e o Ministério não renovou. Demos nossos pulos e renovamos capacidade", relatou Mendes.

Ele também citou que uma das maiores dificuldades atualmente dos estados é a compra de medicamentos, por causa do aumento dos preços no mercado. "Falta medicamento, preços explodiram e gestores tem medo de comprar e ter que responder por improbidade".

Para encontrar soluções e ter respaldo no Ministério da Saúde, o governador argumentou que é preciso ter estabilidade na pasta, especialmente durante a pandemia. "Trocar 3 ministros da saúde em um período tão crítico não é algo razoável. Espero que o governo federal possa pacificar isso, para encontrar soluções".

E que, diante do cenário financeiro negativo, é preciso que o governo federal movimente a economia, com grandes obras. "Para sair da crise temos que ativar iniciativa privada. Investir em infraestrutura, em um grande programa de habitação popular. Nesse momento o governo federal deveria estar capitaneando e gerando muito emprego".

 

    Compartilhar:

Patrocínio

Patrocínio:

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho