Hoje: 08/07/2020
    Horas: 00:00:00
×
Familiares apresentam documentos e

Familiares apresentam documentos e "serva de Deus" é liberada

  • 01/07/2020
  • Hiper Notícias

Presa por suspeita de ofensas homofóbicas a um funcionário de uma rodoviária, Rosinete Ribeiro Taques, 42 anos, foi liberada. A soltura, segundo a Polícia Civil, foi realizada após os familiares da mulher apresentarem documentos comprovando que ela possui problemas mentais.

Rosinete foi liberada no domingo (28), no mesmo dia da prisão. Ela foi encaminhada à Delegacia de Lucas do Rio Verde (335 km de Cuiabá) pela Polícia Militar suspeita de ter cometido crimes de homofobia, ameaça, dano, injúria mediante preconceito, lesão corporal e tráfico de influência, em um terminal rodoviário da cidade.

Além disso, a mulher, que se intitulou como "uma serva de Deus", agrediu a vítima, que é um funcionário de uma agência de viagem. Ela também danificou vários objetos do local.

O crime aconteceu por volta das 13h30. Os policiais informaram que foram acionados para atenderem um crime de homofobia e quando chegaram ao local constataram que ela estava alterada e tentou verbalizar com a mulher.

A vítima relatou que a suspeita chegou à agência a procura de passagem e que ela havia ultrapassado o limite de distância recomendável pelas autoridades sanitárias para a prevenção da Covid- 19, o coronavírus, que delimita um espaço entre duas pessoas para garantir o distanciamento social. A distância foi demarcada na empresa por correntes.

O jovem, na tentativa de orientá-la, passou a ser ofendido pela mulher que não obedeceu ao limite demarcado e passou a danificar objetos da empresa.

Segundo testemunhas e a vítima, a mulher então passou a quebrar máquinas de cartão, cones, teclado e monitor de um computador, o celular de um mototaxista e o balcão da agência.

A suspeita passou a ameaçar de morte o funcionário e cometeu crime de injúria e homofobia pela escolha sexual da vítima, proferindo ofensas como “veadinho, bicha, odeio veado, vou te matar e veado não entra no céu”.

Descontrolada, a mulher agredia quem se aproximava, inclusive os policiais. Resistindo a prisão, a suspeita chegou a dizer que era parente de uma autoridade do Estado, na tentativa de intimidar a ação dos policiais.

Rosinete foi conduzida à delegacia. Pouco tempo depois, familiares foram à unidade e apresentaram documentos que comprovam que Rosinete possui problemas mentais.

Diante disso, ela assinou um Boletim de Circunstanciado de Ocorrência (BOC) e foi liberada.

    Compartilhar:

Patrocínio

Patrocínio:

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho