Hoje: 14/08/2020
    Horas: 00:00:00
×
Secretário defende isolamento radical e descarta hospital de campanha em MT

Secretário defende isolamento radical e descarta hospital de campanha em MT

  • 10/07/2020
  • Folhamax

O secretário estadual de Saúde de MT, Gilberto Figueiredo, afirmou que aumento expressivo dos casos de covid-19 e mortes em Mato Grosso não pode ser atribuído a nenhum culpado, mas foi taxativo ao afirmar que a população precisa fazer sua parte e cumprir os protocolos que determinam uso de máscaras e isolamento social. Ele defende que a quarentena obrigatória em Cuiabá e Várzea Grande seja prorrogado por mais 14 dias e não apenas sete, como decidiu o juiz José Leite Lindote na tarde desta quinta-feira (9). 

"Esse não é o momento de ficar buscando culpados. O culpado é o coronavírus", disse o gestor durante coletiva de imprensa virtual na manhã desta sexta-feira (10), ressaltando que sempre alertou para o risco de colapso na rede de saúde se o isolamento social não fosse respeitado. "São as pessoas que levam o vírus. Não tivemos sucesso nisso até agora. Por isso que defendo uma medida mais radical. Até que tenha uma vacina nós vamos conviver com o coronavírus", observou.

Na coletiva, o secretário descartou qualquer possibilidade de o Estado lançar um hospital de campanha porque já está criando 204 novos leitos de Unidade de Tratamento Intensivo (UTIs) pelo Estado em parceria com os municípios nos próximos dias. Explicou que parte desses novos leitos já serão disponibilizados na próxima segunda-feira (13). 

"Não está no planejamento do Governo do Estado construir hospital de campanha", afirmou Gilberto ao explicar  a maioria desses hospitais abertos em outros estados disponibiliza até 80 leitos, enquanto o Governo de Mato Grosso está abrindo, até o final deste mês, mais 204 novos leitos em parceria com os municípios.

"A maior dificuldade hoje não são equipamentos, mas sim profissionais e medicamentos. Construir hospital e depois não ter profissionais para trabalhar não vai adiantar em nada", enfatizou o secretário, explicando que o Estado também está contratando serviços de UTIs da rede privada, fazendo adaptação e ampliando leitos nos hospitais regionais, de modo que não será a chegada de nova estrutura física (hospital de campanha) que vai resolver a falta de leitos nesse momento. 

 

ISOLAMENTO PROLONGADO

 

Ao justificar a posição do Governo pela prorrogação da quarentena obrigatória nas duas maiores cidades de Mato Grosso, Gilberto Figueiredo explicou que a torcida é para que os números comecem a cair, mas se isso não ocorrer, será preciso prorrogar novamente a quarentena ao término da nova prorrogação anunciada nesta quinta-feira. 

Ele ressaltou, inclusive, que na última semana foi registrado um aumento de 36% no número de mortes pela covid-19. "A princípio os números de ontem e hoje não mostram queda, pelo contrário, mostram crescimento. Por isso defendo aumento para 14 dias. Qual fato novo temos para abrir todo o comércio?", questionou ele ao defender medidas mais radicais e explicar que o ciclo do vírus estabelecido é de duas semanas. 

Conforme Figueiredo, os resultados da última decisão tomada do isolamento só serão percebidos agora, se efetivamente, conseguiu segurar o avanço da infecção em Cuiabá e Várzea Grande.

    Compartilhar:

Patrocínio

Patrocínio:

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho