Hoje: 13/08/2020
    Horas: 00:00:00
×
MANAUS:  Mãe descobre no parto que carregava quadrigêmeas: “Eu não acreditava”

MANAUS: Mãe descobre no parto que carregava quadrigêmeas: “Eu não acreditava”

  • 24/07/2020
  • G1

Osusto de engravidar de trigêmeos não foi nada comparado à hora do parto, quando Michelle Freitas, de 38 anos, descobriu que, na realidade, carregava quatro meninas. A cozinheira do Amazonas já era mãe de três filhos, de 28, 18 e 11 anos.

Por ser considerada uma gestação de alto risco, ela gestou os bebês por sete meses, até que veio a cesariana: “Eu estava anestesiada, quando a médica falou que tinha mais uma, eu só disse ‘tá bom’, e fui dormindo. No quarto, quando minha filha me falou, eu não acreditava. Eu perguntava ‘quatro, Ana Flávia?’ E ela, ‘quatro, mãe!’”, disse, ao portal G1.

Moradora de Manaus, ela foi informada por um médico, durante a primeira ecografia, que carregava dois filhos. Instantes depois, ele fez a correção e contou que, na verdade, eram três bebês em sua barriga.

“O médico viu uma e disse que tinha outra. Eram gêmeas, eu achei bom. Depois ele perguntou se eu estava com algum acompanhante, e pediu para minha irmã entrar. Foi quando ele disse que eram três, e eu fiquei desesperada. Eu achei que ia morrer, comecei a chorar, minha irmã falou ‘calma, vai dar certo’. Depois eu já queria ver a carinha delas”, relatou.

A quarta menina, nomeada de Giovana, foi vista “escondida” pela equipe médica na hora da cesária. O nome foi uma homenagem a obstetra que realizou o parto, que leva o mesmo nome. As quadrigêmeas nasceram no dia 27 de junho, mas a “quarta” bebê segue internada na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Ela nasceu com 969 gramas e só pode ser liberada para casa a partir de 1,8kg.

Ao portal, a mãe contou que em nenhum momento foi suspeitado que eram quatro filhos no ventre: “Apareciam os batimentos dela no lugar de uma das três. Quando ia fazer o exame, uma delas sumia e aparecia o da Giovana”, revelou.

Para ajudar a sustentar os sete filhos, a menina mais velha da cozinheira criou uma página nas redes sociais para arrecadar doações para as crianças.

“Graças a Deus as pessoas estão me ajudando muito com coisas que eu não dava importância, como sabonete, xampu. E doam fraldas também. Agradeço muito às pessoas por isso”, completou.

Por conta do número de herdeiros, ela vai precisar abandonar o trabalho para ficar em casa dando atenção aos pequenos. O marido é carpinteiro e presta serviço no município de São Gabriel da Cachoeira, próximo a Manaus.

Além da página, uma “vaquina” foi criada na internet para arrecadar fundos aos filhos. Atualmente, Michelle está na casa da mãe e pretende voltar para casa após o resguardo. Até os quatro meses vou fazer acompanhamento na maternidade e em janeiro vou voltar para o Viver Melhor [comunidade que a família mora]. Vou dar tudo de mim. Eu não vou mais trabalhar, e minha vida vai ser pra elas”, finalizou.

 

    Compartilhar:

Patrocínio

Patrocínio:

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho