Hoje: 13/08/2020
    Horas: 00:00:00
×
Hospital em Cuiabá troca corpos de vítimas da covid-19; família enterra pai errado

Hospital em Cuiabá troca corpos de vítimas da covid-19; família enterra pai errado

  • 30/07/2020
  • Repórter MT

Erasmo Benedito da Silva, 46 anos, natural de Poconé (105 km da Capital), morreu vítima da covid-19 na manhã dessa terça-feira (28), no Hospital Estadual Santa Casa de Misericórdia, em Cuiabá, onde ficou 11 dias internado em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). No entanto, após a confirmação da morte, a unidade de saúde teria ‘perdido’ o corpo da vítima. Na verdade ocorreu a troca de cadáveres no hospital.

O paciente morava no bairro Ouro Branco, em Várzea Grande, para onde se mudou para fazer tratamento de hemodiálise. Além da doença que afetava os rins, Erasmo ainda era diabético.

A nora de Erasmo, Jucielle Patrícia de Arruda, explicou que um familiar e um pastor estavam no hospital quando foram avisados que o sogro havia perdido a vida e que os enfermeiros iriam preparar o corpo para que a funerária pudesse buscar.

Os procedimentos foram tomados e no período da tarde a funerária foi buscas o cadáver no hospital, porém, os responsáveis na unidade de saúde teriam dito que a vítima seria liberada somente com o reconhecimento de um parente.

Um primo compareceu na Santa Casa para reconhecer e fazer a liberação do corpo. No local havia 10 cadáveres aguardando remoção, mas nenhum era Erasmo, segundo o familiar.

Questionados, os profissionais da saúde responsáveis pelo setor alegaram que naquela manhã outra funerária buscou um corpo no hospital, outra vítima fatal da covid. Momento em que foi levantada a suspeita da troca de cadáveres.

A partir da desconfiança, os familiares buscaram mais informações e foram orientados, no próprio hospital, a entrarem com pedido de liminar na Justiça para fazer a exumação do corpo e verificar se a vítima enterrada pela outra família era Erasmo.

Jucielle contou que na manhã desta quarta-feira (29) a família voltou à Santa Casa para cobrar providências para que o sogro fosse encontrado e foi informada que Erasmo realmente foi sepultado, por engano, por outra família, já que o cadáver que deveria ter sido enterrado ainda está no necrotério.

A nora relata que a outra família envolvida na ‘confusão’ não quer deixar fazer a exumação do corpo até que seja verificada a real situação do familiar deles e confirmada toda esta história.

“Nossa família está muito abalada, assim como a família que enterrou o parente errado. A cova esta lá aberta ate agora em Poconé aguardando para enterrar o meu sogro. Havia a previsão para que o corpo fosse exumado ainda hoje, porém, não há horário previsto. Não estamos sabendo de nada. A mãe dele (Erasmo) é muito idosa e está sofrendo com a situação e nem vai poder chegar nem perto, além dos cinco filhos e quatro netos, todos aguardando para o sepultamento”, relatou Jucielle ao REPÓRTER MT.

O REPÓRTER MT entrou em contato com a Secretaria Estadual de Saúde e a pasta, por meio da assessoria, respondeu que todos os fatos estão sendo apurados e que se posicionará em breve sobre o que realmente aconteceu.

 

Outro caso

 

Em maio deste ano, a mesmo situação ocorreu no hospital São Luiz, em Cáceres (225 km a oeste de Cuiabá), onde Adélio estava internado com problemas cardíacos e Alaíde com suspeita de covid-19. Os dois morreram no dia 26 de maio, uma terça-feira. Devido à confusão, o corpo de Adélio foi enterrado pela família de Alaíde, no Cemitério Park dos Ipês, em Cáceres. Alaíde é de São José dos Quatro Marcos (315 km da Capital). Quem percebeu a confusão foi o filho de Adélio, devido à resistência do hospital em liberar o corpo de seu pai para os serviços funerários. Veja reportagem completa.

    Compartilhar:

Patrocínio

Patrocínio:

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho