Hoje: 22/09/2020
    Horas: 00:00:00
×
A General Car ofereceu curso especializado em uso do ARLA-32 em Guarantã do Norte.

A General Car ofereceu curso especializado em uso do ARLA-32 em Guarantã do Norte.

  • 07/08/2020
  • CNT/ SETCESP / GUARANTÃ NEWS

O tráfego de veículos é um dos principais responsáveis pela poluição atmosférica, que ocorre devido à emissão de gases e partículas que resultam da combustão e pensando no social e no meio ambiente a General Car de Guarantã do Norte, trouxe um curso com engenheiro automotivo especialista em uso do ARLA.

O curso foi ministrado durante a semana na sede da General Car  e teve vagas limitadas, respeitando as normativas de proteção e combate ao COVID-19.

Entenda o porque da preocupação da General Car, em especializar os profissionais de Guarantã no assunto:

Para melhorar a qualidade do ar nas cidades, foi instituído no Brasil o Proconve (Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores). Dividido em fases, ele estabelece limites de emissões de poluentes. Atualmente, o Brasil está na fase P7, que entrou em vigor em 2012. Ônibus e caminhões do ciclo diesel precisam ser fabricados com sistemas de pós-tratamento dos gases de escapamento, e é aí que entra a importância do Arla 32.

Esse produto químico, à base de ureia, precisa ser injetado nos sistemas de pós-tratamento chamados SCR (da sigla em inglês Selective Catalytic Reduction, que significa Redução Catalítica Seletiva) para que diminua a concentração de materiais particulados (MP) e NOx (óxido de nitrogênio) após a queima de combustível. Os óxidos de nitrogênio causam graves problemas ambientais como a chuva ácida, que prejudica o solo, as plantas, as águas e, também, contribui para deteriorar edifícios, pontes, monumentos e veículos, dentre outros. Por meio do Arla 32, associado ao catalisador do veículo, o óxido de nitrogênio é convertido em nitrogênio e vapor d´água, substâncias que não prejudicam a qualidade do ar. 

A maioria dos veículos pesados produzidos no Brasil nessa fase atual do Proconve (P7) tem a tecnologia SCR e precisa, portanto, do uso do Arla 32. Isso é crucial para a obtenção de ganhos ambientais. A falta do Arla 32 ou o uso de produto irregular também causam grandes prejuízos ao transportador, como graves danos aos veículos e multas. 

Para que o sistema SCR funcione corretamente, é fundamental utilizar o produto Arla 32 com a qualidade atestada pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia). Preocupados em orientar transportadores, motoristas e outros profissionais que atuam no setor transportador, a CNT e o SEST SENAT disponibilizam o Guia Rápido Arla 32 – Uso correto 

5 MOTIVOS PARA USAR O ARLA 32 CORRETAMENTE:

1 – Para reduzir a poluição do ar
O uso de Arla 32 irregular ou a sua ausência aumentam a emissão de gases como os óxidos de nitrogênio (NOx) em até cinco vezes.  Para cumprir as atuais exigências do Proconve e baixar as emissões, além do uso do Arla 32, é fundamental abastecer o veículo com diesel S10, que tem menor teor de enxofre.

2 – Para não prejudicar a saúde do próprio motorista
Com a pior qualidade do ar, além dos danos ambientais, há prejuízos à saúde do motorista. Os óxidos de nitrogênio podem levar à ardência nos olhos e no nariz, alergias e, em casos mais graves, à morte por doenças respiratórias.

3 – Para não danificar o veículo de forma irreversível
Impurezas presentes no Arla 32 fabricado de forma clandestina causam a formação de depósitos nos componentes do sistema SCR. Isso leva a danos irreversíveis no veículo, podendo estragar o motor e causar grandes prejuízos com manutenção corretiva, por exemplo. O consumidor deve ter cuidados na compra, recusando produtos de fabricação caseira/clandestina. A compra deve ser feita de fornecedores certificados pelo Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia).

4 – Para não elevar os custos com combustível e manutenção
A utilização de produtos clandestinos ocasiona o mau funcionamento do sistema de pós-tratamento de gases, provocando a perda de desempenho do veículo e o aumento do consumo de combustível. O mau funcionamento do veículo e o consumo desnecessário de combustível elevam consideravelmente os custos de operação do transportador. Vale ainda lembrar que o consumo excessivo de diesel gera emissões, degradando a qualidade do ar, afetando diretamente a qualidade de vida do transportador e da sociedade, e prejudicando o meio ambiente. 

5 – Para não pagar multa nem responder por crime ambiental
As fraudes no Arla 32 desrespeitam os artigos 68 e 71 do Decreto Federal nº 6.514, de 2008, que tratam de infrações em relação ao meio ambiente. A multa prevista em cada um dos artigos pode chegar a R$ 10 mil. Além disso, pelo CTB (Código de Trânsito Brasileiro), a irregularidade no uso do produto é considerada infração grave. O motorista pode ser autuado, e o veículo retido para regularização. Dependendo da situação, o condutor poderá ser enquadrado na Lei de Crimes Ambientais. O Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) e a PRF (Polícia Rodoviária Federal) fiscalizam o uso do Arla 32.

 

Contudo,  finaliza hoje 07/08/2020 a primeira turma do curso em Guarantã do Norte e o Sr. Lirio Schmitt proprietário da General Car, nos relatou que é de suma importância trazer este conhecimento para Guarantã do Norte, pois deve-se pensar não somente em ganhos, e sim ajudar no que possível a saúde de todos e o meio ambiente com responsabilidade e conhecimento na área, que é de suma importância.

 

 CNT/ SETCESP / GUARANTÃ NEWS

    Compartilhar:

Patrocínio

Patrocínio:

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho