Hoje: 07/03/2021
    Horas: 00:00:00
×
Homem ignora policiais, mata mulher e zomba: ‘Podem entrar, está morta’ em MG

Homem ignora policiais, mata mulher e zomba: ‘Podem entrar, está morta’ em MG

  • 23/02/2021
  • BHAZ

Mais um absurdo caso de feminicídio foi registrado em Belo Horizonte nas últimas horas. Desta vez, nem mesmo a visita de policiais – acionados após sumiço da vítima – impediram a brutalidade do autor. Mesmo sabendo da presença dos agentes em frente à residência, o homem assassinou a companheira na tarde dessa segunda-feira (22), na região do Barreiro, e ainda desdenhou: “Podem entrar, ela está morta”.

O caso se tornou de polícia quando um colega de trabalho da vítima estranhou o sumiço dela. Clenilda Alzira da Silva, de 43 anos, pegava carona corriqueiramente com esse colega, mas, ontem, por volta das 7h, não desceu da residência, na Vila Cemig. O companheiro de trabalho esperou, ligou para Clenilda algumas vezes, mas só dava telefone desligado. Achou estranho, mas, com o avançar da hora, precisou sair para não se atrasar muito.

Deixou algumas mensagens demonstrando preocupação, mas só foi respondido no início da tarde. A mulher ligou, com voz estranha, dizendo que viajaria para a casa da mãe. Clenilda era natural de Pernambuco. Foi a gota d’água para o homem recorrer às autoridades, que agiram rapidamente. Logo após ouvir o relato do colega de Clenilda, os policiais foram para a casa dela.

 

‘Está morta’

 

Assim que chegaram ao endereço, por volta das 15h, os agentes foram recebidos pelo companheiro de Clenilda. O homem estava exaltado e queria saber o que os policiais estavam fazendo lá, se tinham mandado. Logo na sequência, após os agentes tentarem acalmar os ânimos, o companheiro de Clenilda entrou para a residência. Do lado de fora, os policiais ouviram um grito dela – que seria o último.

Imediatamente, os policiais se prepararam para entrar na casa quando viram o homem retornando à varanda para dizer: “Podem entrar, ela já está morta”. O autor foi preso e a mulher encontrada caída dentro de um quarto. De fato, estava morta. Ela chegou a ser socorrida para o hospital Júlia Kubistchek, onde o óbito foi confirmado.

Com o autor do feminicídio, a polícia encontrou o celular de Clenilda. “Todas as roupas da vítima estavam danificadas, aparentemente cortadas com tesouras. Havia um quarto, provavelmente o quarto em que ela estava sendo mantida em cativeiro e a chave que tranca esse cômodo estava do lado de fora, o que nos dá a indicação que ela era mantida reclusa ali”, afirmou o delegado Rômulo Dias ao G1.

Os policiais apuraram com os vizinhos que o casal morava junto, naquela residência, desde agosto. O assassino confesso foi conduzido até a Deplan (Delegacia de Plantão) 3.

    Compartilhar:

Patrocínio

Patrocínio:

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho