Hoje: 16/05/2021
    Horas: 00:00:00
×
Parecida com dengue, febre Oroupoche tem caso identificado no Brasil

Parecida com dengue, febre Oroupoche tem caso identificado no Brasil

  • 04/05/2021
  • GQ

A FMS (Fundação Municipal de Saúde) confirmou nesta quarta-feira (28) o registro da 1ª infecção da febre Oroupoche em Teresina, capital do estado do Piauí, após os resultados de exames realizados em um paciente internado no Hospital de Urgência de Teresina em janeiro deste ano.

A febre Oroupoche é uma arbovirose, ou seja, uma doença transmitida por mosquitos, no caso, o principal transmissor é o Culicoides paraensis, popularmente chamado de "maruim". Os sintomas são bem parecidos com os da dengue, outra arbovirose, mas a febre Oroupoche tem menos riscos de desenvolver casos graves, com complicações hemorrágicas, por exemplo, como pode acontecer com a dengue, conforme informado pela própria FMS. A nota emitida pela fundação, assinada pela diretora Amaríles de Souza Borba, da Diretoria de Vigilância em Saúde - FMS, afirma que são raros os casos que podem ser complicados por meningite de padrão viral (benigna).

 

Origem

 

O Hospital Israelita Albert Einstein informa em seu portal na internet que o vírus, que também é conhecido como Orov, foi descrito pela primeira vez na década de 60, em Trinidad & Tobago, no Caribe, e é mais um dos vários em que a transmissão ocorre de animais para seres humanos.

 

No Brasil

 

Ainda na mesma década de 1960, foram registrados surtos no Brasil, na região norte, principalmente no Amazonas, mas também no Acre, Pará, Maranhão e Tocantins. Casos esporádicos aconteceram também nos estados da Bahia e Minas Gerais, ainda assim, o norte do País é a maior área de risco.

 

Sintomas, diagnóstico e prevenção

 

Os sintomas são muito parecidos com os da dengue: dores no corpo, febre, dor de cabeça e, em alguns casos, enjoos e vômitos. Devido a semelhança, acredita-se que muitos casos da febre Oroupoche foram erroneamente diagnosticadas como dengue. A forma segura de identificar o vírus é pelo exame de sangue PCR (reação em cadeia de polimerase).

As populações que correm maior risco de contrair a doença são as que vivem em áreas ribeirinhas e alagadas, próximo a rios, lagos e mangues. Mas, assim como o mosquito que transmite a dengue, o transmissor da febre Oroupoche também pode proliferar em focos de água parada, como em caixas d'água abertas, pratinhos de vasos de plantas e lixo. Repelentes, mosquiteiros, telas nas janelas e o uso de roupas que cubram bem o corpo (mangas compridas e calças) também são formas de prevenção. Pessoas que vão viajar para áreas mais propensas à transmissão devem se atentar às formas de prevenção.

Até o momento não há vacina contra a febre Oroupoche nem tratamento específico, somente sintomático, esclarece Dr. Jacyr Pasternak, infectologista do Einstein.

    Compartilhar:

Patrocínio

Patrocínio:

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho