Hoje: 22/06/2021
    Horas: 00:00:00
×
Criança fica com moeda presa na garganta, espera mais de 11h em hospital no AC e revolta família

Criança fica com moeda presa na garganta, espera mais de 11h em hospital no AC e revolta família

  • 10/06/2021
  • G1

A família da pequena Louse Maia, de 1 ano e 8 meses, passou por momentos de tensão esta semana em Rio Branco. A criança engoliu um moeda de 5 centavos e ficou com o objeto preso na garganta. Os pais correram para a emergência do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb), mas a criança esperou mais de 11 horas no local, sem que fosse atendida por um especialista.

O caso ocorreu na noite de quarta-feira (12) e o objeto só foi retirado nesta quinta-feira (13), depois que os pais levaram a menina em uma clínica particular. O raio X mostra onde a moeda ficou localizada.

O pai da criança, o bancário André Maia, ficou revoltado com o atendimento no Huerb. Ele conta que o pediatra plantonista do Huerb, que atendeu a criança, disse que o objeto só poderia ser retirado com uma endoscopia, mas a profissional que faria o exame estava de sobreaviso em casa. O médico ligou para a colega, mas foi informado que ela só iria na unidade às 7h desta quinta.

“Ligaram para pessoa de sobreaviso e disseram que ela falou que só poderia chegar às 7h para fazer o procedimento e retirar a moeda da garganta da minha filha. Só me passaram a orientação de que era para a minha filha ficar de dieta zero e colocaram ela no soro”, reclamou.

 

 

Fora de risco

 

Ao G1, a direção do Huerb informou, por meio de nota, que a criança tinha comido antes de chegar à unidade e precisava esperar no mínimo oito horas para receber anestesia geral e retirar a moeda. A nota frisa que não havia o risco à saúde da criança, mas os responsáveis preferiram não esperar.

Além disso, a unidade afirmou que nenhum profissional se recusou a atender a paciente. O Huerb afirmou também que 'procedeu de acordo com os critérios clínicos e atenção à urgência'.

"A criança deu entrada em um hospital infantil particular às 21h10 e encaminhada para procedimento de ultrassonografia endoscópica, chegando às 21h32 na urgência alimentada. A criança foi submetida ao raio X e não apresentava risco de morte", explicou a nota.

 

Hospital infantil

 

A aflição da família começou antes de ir para o Huerb. O pai disse que chegou a ir primeiro em um hospital infantil particular da cidade. Na unidade, a criança fez um raio X e Maia foi orientado a levar a criança ao Huerb para retirar a moeda com ajuda de uma endoscopia.

“Às 21h32, demos entrada no Pronto-Socorro. Fomos atendidos pelo pediatra de plantão e pediu para fazermos outro raio X. A moeda continuava do mesmo jeito. O pediatra falou a mesma coisa que a pediatra do outro hospital particular, que só um endoscopista podia tirar e com ela [criança] sedada. O médico, então, ligou para a pessoa que estava de sobreaviso, isso já por volta das 22h, 22h10”, relembrou.

 

Espera

 

Após informar que a profissional não iria para o hospital, a equipe encaminhou a criança para a observação pediátrica para tomar soro, onde ficou até às 8h desta quinta. Já sem paciência e com medo de acontecer o pior, Maia tirou a criança da unidade e a levou em uma clínica particular.

“De manhã, outro médico ainda ia fazer outro raio X, aí resolvi ir atrás de um profissional particular e ninguém falou nada. Tirei minha filha de lá, esperei até às 8h, porque a profissional não chegou, só chegou outra pessoa para fazer outro raio X”, criticou.

Na clínica particular, o pai disse que o objeto foi retirado em questão de minutos e sem dificuldades. Como a moeda estava entalada na garganta, o bancário temia que o objeto virasse, impedindo a respiração, ou descesse pelo esôfago.

"A revolta é que se tem uma médica que está de sobreaviso ela tem que ir pelo menos lá avaliar o caso. Uma bebê que está com uma moeda entalada na garganta pode acontecer algo a todo momento, a gente precisa de um profissional", afirmou.

    Compartilhar:

Patrocínio

Patrocínio:

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho