Hoje: 17/09/2021
    Horas: 00:00:00
×
Após apagão, SBPC divulga carta aberta em defesa do CNPq

Após apagão, SBPC divulga carta aberta em defesa do CNPq

  • 29/07/2021
  • R7

A SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência) publicou uma carta em defesa do CNPq (Conselho Nacional para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico). O texto foi publicado na noite de quarta-feira (28), após o apagão de dados da plataforma Lattes.

Na carta, a SBPC manifesta “consternação e preocupação” com fragilidade da infraestrutura do CNPq. “A SBPC solicita ao MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações) que providências imediatas sejam tomadas para que o CNPq restabeleça em sua plenitude a capacidade de atuar estrategicamente no desenvolvimento da pesquisa, ciência, tecnologia e inovação do Brasil, como o vem fazendo há 70 anos”.

O texto também destaca o 'estrangulamento financeiro' que o órgão vem sofrendo desde 2016. "De um orçamento de R$ 3,0 bilhões em 2014 (em valores atualizados para junho de 2021, segundo a Instituição Fiscal Independente), o CNPq perde mais de R$ 1 bilhão no orçamento de 2016, e chega a 2021 com um valor previsto de R$ 1,27 bilhões, inferior a qualquer orçamento do presente século, sempre devidamente ajustados os valores pela inflação até o momento atual, para efeito de comparação. Com esse pequeno volume de recursos, o CNPq está impossibilitado de financiar projetos de pesquisa, e fica comprometida sua infraestrutura."

 

Apagão

 

No último fim de semana, pesquisadores denunciaram que não estavam conseguindo acessar a plataforma Lattes, do CNPq. Esses diretórios funcionam como um 'Linkedin do Pesquisador', reúne todos os dados das atividades acadêmicas, currículos e pesquisa de brasileiros e estrangeiros. 

De acordo com o ministro Marcos Pontes do MCTI, houve um problema em uma peça em um dos computadores, uma empresa foi contratada para fazer o reparo. Pontes garantiu "que nenhum dado foi perdido", no entanto, pesquisadores estão preocupados com a situação de bolsas, pesquisas e do próprio CNPq, que sofre com redução de orçamento e de pessoal.

 

    Compartilhar:

Patrocínio

Patrocínio:

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho