Hoje: 16/11/2019
    Horas: 00:00:00
×
Devoluções de cheques recuam em julho no Estado

Devoluções de cheques recuam em julho no Estado

  • 24/08/2017
  • DIÁRIO DE CUIABÁ

O percentual de devoluções de cheques pela segunda vez por insuficiência de fundos no mês de julho, em Mato Grosso, foi de 2,13% do total de cheques compensados, ou seja, para cada 100 desses documentos, pouco mais de dois deles retornaram por falta de saldo na conta corrente dos emissores. O Indicador Serasa Experian de Cheques Sem Fundos, divulgado ontem, mostra que o volume de devoluções reduziu em comparação ao contabilizado em junho, 2,15% e recuou ainda mais na comparação anual com julho de 2016, que conforme a entidade fechou com 2,73% de cheques não compensados por insuficiência de saldo.  No Brasil, a média de julho foi de 1,93% em relação ao total de cheques compensados. Assim como o registrado em Mato Grosso, o percentual nacional sofreu queda em relação ao mesmo período do ano anterior, quando registrou-se 2,26% de devoluções, e é o menor já registrado para o mês de julho desde 2010, quando o percentual era de 1,74%.  Na Região Centro-Oeste, a devolução de cheques em julho foi de 2,46% do total de cheques compensados, maior que a devolução de 2,33% registrada em junho. Em julho do ano passado, a devolução de cheques pela segunda vez por falta de fundos na região havia sido de 2,99% do total de cheques compensados.  No acumulado do ano, de janeiro a julho, Mato Grosso soma 2,47% de devoluções, sendo o terceiro maior volume registrado no período, no Centro-Oeste, onde a maior inadimplência com este meio de pagamento está no Distrito Federal, 3,39%, seguido por Goiás, 2,57%, Mato Grosso, 2,47% e Mato Grosso do Sul, 2,34%. Em relação ao ranking nacional dos 26 estados mais o Distrito Federal, o Estado ocupa a 18ª posição.  De janeiro a julho de 2017, entre as regiões do país, a liderança de devoluções foi da região Nordeste, com 5,44% de cheques devolvidos. O Sul apresentou o menor percentual de devoluções no período: 1,77%.  Já entre os estados, o Amapá segue na liderança do ranking de cheques sem fundos entre janeiro e julho de 2017: foram 20,61% de cheques devolvidos. Na outra ponta, Paraná e Santa Catarina tiveram o menor percentual de devoluções: 1,71%.  BRASIL - Segundo os economistas da Serasa Experian, a queda da inflação, das taxas de juros e a entrada dos recursos do FGTS na economia são elementos que contribuíram “para termos o menor patamar de inadimplência com cheques dos últimos sete anos para o mês de julho”.  No acumulado do ano, de janeiro a julho, a porcentagem de cheques devolvidos no país, em relação aos compensados, foi de 2,10%, menor que a devolução de 2,39% registrada em no mesmo período de 2016.  Em julho, foram 792.588 cheques devolvidos e 40.971.006 cheques compensados. O mesmo período do ano anterior totalizou 1.042.209 cheques devolvidos e 46.134.886 cheques compensados. No acumulado do ano, de janeiro a julho, foram 6.118.323 cheques devolvidos e 291.267.042 compensados. 
 

    Compartilhar:

Patrocínio

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho