Hoje: 22/07/2019
    Horas: 00:00:00
×
Alunos estudam em salões de igrejas improvisados desde 2018 à espera de conclusão de obra que está parada em MT

Alunos estudam em salões de igrejas improvisados desde 2018 à espera de conclusão de obra que está parada em MT

  • 15/05/2019
  • TVCA

Alunos estudam em salões de igrejas improvisados desde 2018 à espera de conclusão de obra que está parada em MT

Mais de 200 alunos estão estudando em salões improvisados de igrejas da comunidade Gleba Triângulo, em Tangará da Serra, a 242 km de Cuiabá, desde outubro do ano passado, porque a obra da Escola Municipal Professora Jucileide Praxedes está inacabada. Algumas salas onde ficam os alunos são separadas com tampões de madeira.

Além dos próprios alunos, o prédio da escola recebia estudantes da Escola Estadual Cláudio Aparecido Paro.

A Secretaria Estadual de Educação (Seduc) informou que a reforma do prédio é de responsabilidade da prefeitura e que não existe possibilidade de transferência dos alunos para outro imóvel, pois não há alternativas de outros prédios na região, já que trata-se de uma localidade rural.

Já a Secretaria Municipal de Educação não informou quando as obras serão retomadas e concluídas.

A obra, orçada em mais de R$ 1,2 milhão, deveria ter sido entregue em março deste ano, mas no local restam apenas paredes quebradas, escombros, restos de materiais de construção e água parada com larvas de mosquito.

A intenção era abrigar todos os alunos no salão de uma igreja católica durante o período de reforma, mas não há espaço suficiente. Por isso, alguns estudantes precisam caminhar cerca de 1 km para ir a outras igrejas e depois voltar para o lanche.

“Ninguém toma providências diante dessa situação. Tem dias que passa vários caminhões na rua e as crianças precisam ficar andando para lá e para cá”, lamentou a dona de casa Andréia Rosa Gonçalves Pereira.

A coordenadora da escola, Eliana Lopes da Silva Soares, garantiu que a documentação da obra está em andamento.

“A obra está parada, porém a documentação está em trâmite. É claro que não estamos confortáveis, mas é o que temos para o momento para que as aulas não sejam prejudicadas”, ressaltou.

 

    Compartilhar:

Patrocínio

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho