Hoje: 15/06/2019
    Horas: 00:00:00
×
Silval pede para substituir cobertura de R$ 3,4 mi por 3 terrenos entregues em delação

Silval pede para substituir cobertura de R$ 3,4 mi por 3 terrenos entregues em delação

  • 06/06/2019
  • Folha Max



Custo para manter apartamento luxuoso foi motivo alegado por ex-governador; MP é favorável a troca

Na tentativa de se livrar das despesas e altos custos de manutenção de seu apartamento no Edifício Riviera da América, em Cuiabá, o ex-governador Silval Barbosa propôs à Justiça a substituição do imóvel por três terrenos já entregues por ele em seu acordo de delação premiada homologado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O luxuoso apartamento, que tem área privativa de 549,133 m² e é avaliado em R$ 3,4 milhões, está situado na Avenida Brasília, bairro Jardim das Américas, e já tem parecer favorável do Ministério Público Estadual (MPE) para ser “incorporado” ao patrimônio do Estado no lugar dos terrenos anteriormente disponibilizados pelo ex-governador. 

Agora, uma decisão só depende da Vara de Execuções Penais de Mato Grosso, o que significa que tal missão ficará a cargo de um dos dois juízes responsáveis pela 2ª Vara Criminal: Geraldo Fernandes Fidélis Neto e Wladymir Perri. 

A tendência é que o pedido seja aceito, pois conforme apuração do FOLHAMAX, o valor do apartamento é superior à soma financeira dos três terrenos de modo que seria mais fácil para o Estado revender o luxuoso apartamento do que os terrenos que nem estão localizados em Cuiabá. Outra hipótese que sinaliza que a troca será efetivada pela Justiça de Mato Grosso é o fato de que o próprio Ministério Público se posicionou a favor. 

Em agosto de 2017, quando o Supremo homologou a delação de Silval bem como a relações de bens entre fazendas, terrenos, veículos e até um avião avaliados em R$ 46 milhões, foi delegado à Vara de Execuções Penais de Mato Grosso a autonomia de decidir sobre questões envolvendo alienações dos bens. 

Sobre o pedido de Silval para entregar o apartamento, FOLHAMAX apurou que ele pretende alugar outro imóvel em Cuiabá para se mudar com sua esposa Roseli Barbosa, que seja mais barato e tenha um custo menor de manutenção, a exemplo de taxas de condomínio e outros gastos como energia elétrica e funcionários para fazer os serviços domésticos. O motivo principal é que os rendimentos do ex-governador atualmente não são compatíveis com os gastos do luxuoso apartamento no Jardim das Américas. 

Silval também entregou ao Estado sua residência localizada no município de Matupá (681 km de Cuiabá).

O ex-governador já foi condenado a mais de 20 anos de prisão em duas ações penais derivadas da Operação Sodoma. Ele é réu confesso e delator premiado por ter chefiado uma organização criminosa que desviou cerca de R$ 1 bilhão dos cofres por meio de diferentes esquemas de corrupção como fraudes a licitações e concessão de incentivos fiscais para grandes empresas de forma indevida mediante pagamento de propina. 

Silval Barbosa foi preso em 15 de setembro de 2015 e depois de 2 anos e 8 meses de detenção no Centro de Custódia de Cuiabá, obteve o benefício da prisão domiciliar. No dia 25 de maio deste ano, ele passou para o semiaberto com aval do Ministério Público Estadual. À ocasião, explicou que vai continuar morando em Cuiabá e vai trabalhar nas empresas de suas família, no Grupo Continental de Comunicação, chamado de Rede Conti, um conglomerado composto por dezenas de rádios e TVs. 

A imprensa divulgou que seriam 73 no total, mas a defesa de Silval nega com veemência essa informação atestando que a quantia de rádios e TVs é bem menor. No entanto, não informou, até o momento, a quantidade exata de emissoras pertencentes ao grupo de comunicação da família de Silval. O ex-governador tem que ficar recolhido em sua residência diariamente entre 22 horas e 6 horas do dia seguinte.

A defesa do ex-governador foi procurada para comentar a substituição do imóivel entregue na delação, mas não atendeu aos chamados.

    Compartilhar:

Patrocínio

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho