Hoje: 19/11/2019
    Horas: 00:00:00
×
Moradores de ocupação bloqueiam BR-163 após corte de ligações irregulares de energia na capital Campo Grande

Moradores de ocupação bloqueiam BR-163 após corte de ligações irregulares de energia na capital Campo Grande

  • 12/07/2019
  • G1 MS

O congestionamento na entrada da cidade chega a 7km de ambos os lados do anel viário de Campo Grande (MS), segundo a PRF.

Moradores de uma área invadida no bairro Paulo Coelho Machado bloquearam a BR-163 na entrada de Campo Grande na tarde desta quinta-feira (11). Pouco mais de 500 famílias estão no local em protesto ao corte de ligações irregulares de energia realizado pela concessionária esta manhã. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o congestionamento na rodovia chega a 7km de ambos os lados.

Cerca de 1.200 famílias vivem na ocupação de empreendimentos inacabados da empresa Homex, que decretou falência antes de concluir os condomínios. Em algumas áreas do mesmo bairro, a invasão foi em terrenos da empresa. As ligações irregulares, os chamados "gatos", eram feitos em pontos de distribuição de energia a moradores regulares dos condomínios. Segundo a concessionária, essas ligações consumiram em média 2202,777 MWh/ano, o que equivale a R$ 1.085.770 milhões de reais por ano.

Moradores das áreas invadidas disseram à reportagem que têm o desejo de que os serviços sejam regularizados: "Nós queremos pagar por água e luz mas como é área particular, não sabemos mais a quem pedir que seja feita a regularização", diz uma moradora. O manifestantes pedem a presença de um representante da prefeitura no local. As famílias da área de invasão também não possuem rede de água.

O presidente da Agência Municipal de Habitação (Emha), Eneas Netto, informou que não há amparo legal para a prefeitura instalar luz e água para os moradores da ocupação. "Essa área é particular, assim como uma reserva ambiental que também foi deteriorada em decorrência dessas ocupações. A prefeitura tentou, via judicial, solucionar a regularização dessa área mas não foi possível devido aos valores pedidos pela massa falida da empresa Homex", declarou.

"Sabemos que existe uma situação social delicada ali, mas infelizmente não é da competência da prefeitura. Não há qualquer intervenção da prefeitura quanto ao pedido de reintegração de posse ou dessa situação dos cortes que estão sendo realizados no local", afirma Eneas.

    Compartilhar:

Patrocínio

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho