Hoje: 24/08/2019
    Horas: 00:00:00
×
MPE solicita interdição de Escola Alcides e alunos terão aulas suspensas em Rondonópolis

MPE solicita interdição de Escola Alcides e alunos terão aulas suspensas em Rondonópolis

  • 13/08/2019
  • Notícias de MT

Após uma solicitação do Ministério Publico Estadual  de interdição completa da Escola Municipal Alcides Pereira dos Santos, a Secretaria Municipal de Educação (Semed), a direção da Escola Municipal Alcides Pereira dos Santos e o Conselho Escolar se reúnem nesta terça-feira (13), com os pais e responsáveis dos alunos que estudam na escola para informar a suspensão imediata das aulas.

De acordo com a secretária municipal de Educação, Carmen Garcia Monteiro, as aulas ficarão suspensas, já que em averiguação de equipes da Secretaria não foi possível, até o momento, encontrar um espaço para atender a demanda da escola de Ensino Fundamental que atende mais de 600 alunos.

“Para locar um prédio que atenda às necessidades da escola precisamos de mais tempo. O local precisa ser encontrado, avaliado quanto ao atendimento das necessidades de alunos e servidores e caso seja encontrado, é preciso ainda encaminhar o projeto de lei para a Câmara Municipal para que os vereadores autorizem que a Prefeitura faça a locação. São trâmites que delongam certo tempo”, explica Carmen.

Vale ressaltar, que o problema é antigo na escola, visto que pais e alunos reclamam das condições do atual prédio e da lentidão da Prefeitura em resolver a questão há muito tempo.

Além disso, um grupo de pais chegou a fazer uma rifa para tentar concluir a construção de uma das salas da escola.

A reforma na escola já havia sido iniciada, mas a empresa responsável abandonou a obra. Diante da situação, foi necessário realizar um distrato com a empresa e promover uma nova licitação.

Com o objetivo de resguardar alunos e servidores, parte da escola já estava interditada pela própria Semed.

Para solucionar definitivamente o problema estrutural da escola, a Semed irá assinar nesta quarta-feira (14), a ordem de serviço para o início imediato das obras de reforma geral da unidade de educação.

Com um custo superior a R$ 1 milhão, a escola terá toda rede elétrica e hidráulica trocada, telhados e forros serão reconstruídos, pisos trocados, além de realizada pintura geral. A previsão é de que a obra seja concluída em oito meses.

“Nos reunimos com os responsáveis da empresa vencedora do processo licitatório e solicitamos a maior agilidade possível na conclusão das obras”, destacou a secretária, que complementou que a Semed está reformando várias escolas no município, trazendo melhorias na infraestrutura para garantir melhor qualidade do ensino público municipal.

Retorno as aulas

Carmen informa ainda que serão cumpridos os 200 dias letivos e 800 horas aulas conforma a Lei de Diretrizes Básicas da Educação.

Quando definido o retorno às aulas dos alunos, a Semed, com o Conselho Deliberativo Escolar, irá elaborar o plano de reposição para que não haja prejuízos aos estudantes.

Problemas estruturais

Na época das denuncias, de acordo com a mãe de um dos alunos, a urgência da construção é devido a duas turmas estarem assistindo as aulas dentro de uma só sala.

Além disso, a mãe cita diversos outros problemas estruturais, tais como a fiação deficitária, na qual sequer os condicionadores de ar podem ser ligados.

“A escola estava com a estrutura do telhado toda comprometida. Por este motivo, não poderiam mexer na fiação antes de consertá-lo. No entanto, quando foram reparar o telhado, perceberam que a situação da escola era outra, e que necessitava de uma reforma mais ampla. Após o início da obra, a empresa logo abandonou a reforma, deixando a escola numa situação ainda mais precária”, reclama.

No local percebem-se as salas de aula sem condições de uso, inclusive, com gotejamento em dias de chuva.

Vale ressaltar, que a sala dos professores ainda está temporariamente funcionando num acampamento montado no refeitório.

    Compartilhar:

Patrocínio

Recados


De: Rebotec para Ao Interessados
Recado:Ultimamente tá difícil a vida de pedreiro ou carpinteiro no município... Governo cria o MEI para legalizar a atividade e a administração fere a lei para se beneficiar em recolhimento acima do permitido. Em contrapartida têm em suas obras as ilegalidades trabalhistas onde não se sabe se ganham pela prefeitura ou pela empresa licitatória. Mas em tempo que vereador vai para o ponto P e bate no ponto C, fica difícil de um fiscalizar o outro. Enquanto isso vamos construindo uma cidade melhor, pois pelos órgão públicos o prejuízo é grande.
De: Contribuinte para Para Administração Pública
Recado:Boa tarde! A grande maioria dos pioneiros sabem da história complicada do Bairro Guaranorte. Sou morador do Jardim Vitória e estamos em recuperação de ruas, daquele jeito, mas está saindo. Agora o que me preocupou com tristeza é o descaso com o pessoal daquele bairro, para trafegar precisa tirar par-ou-impar entre os veículos. E aquela ponte de madeira! Alguém sabe se é patrimônio histórico? Até parece território desmembrado do município, lá também existe arrecadação de impostos (água, luz e telefone)... e votos. Seria ótimo serem lembrados... pronto falei.
De: Eterno Opositor para Contribuinte aloprado
Recado:Hein, fala mais com minha mão aqui. bibibi.... acho que você é alopradinho e não percebeu que também tinha testemunhas....mas....vi que é alopradinho, puxou estorinhas do baú, sítio do pica-pau amarelo, etc para querer parecer com a razão. beijinho